Casa com alto astral

Pequenos detalhes na decoração podem fazer toda a diferença. Quando se  trata de melhorar o astral da casa principalmente. Ao menos é nisso que  os arquitetos e decoradores que praticam o feng-shui acreditam.


O feng-shui é uma técnica milenar chinesa que trata da organização dos objetos da casa, ou do ambiente de trabalho. Essa organização procura, principalmente, o equilíbrio do fluxo de energias no local. E por tratar de energias, essa é a técnica mais procurada por quem deseja melhorar o astral da sua casa, escritório ou loja por meio da decoração.

Embora envolva um certo misticismo, não é necessário temer as determinações do feng-shui. Utilizar a técnica na decoração da casa não significa enchê-la de objetos esotéricos. Na verdade, mudar a cor das paredes, o tipo de material do piso e dos objetos da casa, ou a disposição dos móveis, já ajuda na tarefa de renovar o astral.

Porém, essas mudanças não são feitas de qualquer maneira. Todas as escolhas são orientadas pelo Baguá, espécie de bússola chinesa que indica qual elemento da natureza é mais forte em determinados pontos da casa. “ De certa maneira, o Baguá limita você. Isso porque é ele que norteia o trabalho. Especifica o que você usará em cada ponto”, comenta a arquiteta Rosângela Bimonte.

Balangandãs esotéricos à parte, é necessário o uso de um prisma de cristal, uma fonte de água ou alguns símbolos chineses que fazem parte da lista de itens necessários para renovação das energias da casa.

No entanto, neste caso, os objetos só devem ser utilizados se for do gosto de quem vive ou permanece muito tempo no local. “Se para você o símbolo é estranho, não coloque. Porque se aquilo te causa estranheza, trará desarmonia. O melhor é procurar outras formas para neutralizar aquele erro”, diz a arquiteta Juliana Torres, que começou a estudar o feng-shui há mais de sete anos, quando vivia na Espanha.

Mudanças que começam por dentro

Foi com o intuito de renovar a casa que a economista Gilma Braga procurou Juliana e a técnica chinesa. “Um dia meu filho entrou no meu quarto e disse: Nossa, mãe, isso aqui está parecendo um quarto velho. Percebi que ele estava certo. Havia um ar de bagunça por toda a casa. Então resolvi mudar, clarear a minha casa”, conta Gilma.

E as mudanças não foram poucas. A casa da economista era muito escura e desorganizada. Foram necessários seis meses de reforma para trocar o piso, mudar a cor das paredes e a função de alguns cômodos. O local ficou claro, ganhou um certo frescor e hoje a desorganização passa longe.

Embora tenha havido uma mudança na estrutura da casa, os móveis continuaram os mesmos. A arquiteta apenas os reposicionou de maneira mais condizente com o feng-shui. “A Juliana deu uma nova cara para a minha casa, mas utilizando muitas coisas que eu já possuía”, comenta Gilma.

Quando os móveis ou a edificação não podem ser alterados, o feng-shui oferece alternativas para corrigir o erro que impossibilita o fluxo de energias. Essas alternativas são as chamadas curas. Algumas delas, como o famoso espelho atrás do fogão, são bem conhecidas devido a estranheza que causam.

No entanto, nem todas as curas exigem que o morador reavalie os seus padrões de decoração. Esse é o caso das pequenas fontes. Além de serem uma peça interessante para a casa, o som da água escorrendo acalma os ânimos e se as fontes forem colocadas em um local correto podem ajudar a movimentar e captar energias.

Comércios decorados com a técnica

O salão de beleza Polly Hair e Make-up, na 106 sul, é totalmente decorado segundo o feng-shui. Uma das curas da loja fica logo na entrada, uma flauta de bambu em cima da porta. “Como aqui no salão entra e sai muita gente, a flauta serve para filtrar muitas energias que entram”, diz o gerente do Polly Hair, Sandro Roger.

Mais um cuidado é o uso de fontes próximas a locais de lixo. “Essa fonte ajuda a movimentar a energia que fica parada por causa do lixo no canto”, comenta Roger. Além disso, o salão possui em sua decoração mandalas feitas exclusivamente para o local. “As mandalas foram feitas com o cálculo sobre a data de nascimento do dono do salão e da inauguração da loja. Estão colocadas em um ponto onde pode ser refletida por todos os espelhos”, conta.

Vale lembrar que a mudança na decoração é apenas um passo para a renovação do astral dos ambientes. O feng-shui também determina certos hábitos saudáveis para as energias da casa. Um deles é sempre manter as portas do banheiro e a tampa do aparelho sanitário fechados. Isso porque, segundo a técnica, o banheiro é um ponto que suga muitas energias da casa e depois as deixa escorrer pelo ralo.

Outro hábito determinado pela técnica chinesa é nunca acumular objetos sem uso ou quebrados. Isso significa sempre fazer doações e faxinas e colocar o que tiver guardado em uso no dia a dia. “Eu tinha muita coisa guardada nos armários da casa. Teve um dia que eu cheguei a chorar quando fui arrumar aquele tanto de coisa e vi como tinha gente precisando e eu guardando. Foi uma renovação para mim”, comenta Gilma, que doou pratos, louças, lençóis e toalhas durante a reforma da casa.

Dicas para manter o astral da casa

Segundo explica a arquiteta Juliana Torres, o feng-shui significa o equilíbrio entre o vento (feng) e a água (shui). Enquanto o vento dissipa as energias a água as capta. Como o feng-shui procura o equilíbrio, é necessário manter em harmonia esses dois elementos. “O segredo do feng-shui está aqui. Onde a energia corre demais, você coloca a água. Se a energia está estagnada, colocamos o vento”, explica Juliana. Assim, portas ou janelas alinhadas são um erro. Pois isso significa um fluxo de energia muito rápido. Dessa forma, a energia não circula pela casa. Segundo a técnica, os locais onde a energia não faz um caminho tranqüilo costumam ser frios e bagunçados.

A solução para isso é colocar um espelho no caminho entre as duas portas, ou então aquários e fontes. Se for uma porta de entrada, um aparador também funciona. Esses elementos seguram por mais tempo a energia dentro da casa.

O equilíbrio também deve ser mantido entre as cores. Desta maneira, a cor pode predominar, mas nunca dominar o ambiente. Os especialistas recomendam não deixar ela totalmente pura. Assim, mesmo que um ambiente seja correspondente ao elemento terra, ele deve ter referências de outros elementos. Madeira, fogo, metal e água devem estar presentes no ambiente, embora a terra predomine. “Você melhora o ambiente tendo espaços adequados e com os cinco elementos equilibrados”, recomenda Juliana.

 

Comunidade Vip – Jornal da Comunidade

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial